Amor-próprio / Amor Incondicional

Sol-Coração
Aconselho a lerem este fabuloso texto com toda a atenção!
***
Amor-próprio é uma palavra bastante importante. Mas em geral, é um conceito de que não gostamos de falar, porque existe uma conotação com narcisismo, com o vangloriar.. mas de facto, é algo completamente diferente.
Amor-próprio não é o mesmo que pôr-nos num pedestal. É aceitar-nos tal como somos. E com isso não estou a referir à capacidade que toda a gente parece ter, nomeadamente descrever quem somos a partir de uma atitude humilde (que na verdade parece mais ser um tom condescendente). É um abraçar de tudo de que somos capazes.
Aprendemos desde cedo, pensar nos outros. “Ame o seu próximo…” – mas se esquecemos a última parte do ensinamento “.. como a ti mesmo” tudo começa a correr mal. Ao esquecer a nós, vamos de encontro ao próximo a partir de uma atitude de submissão, em vez de sentirmos igual. Ao pôr o outro acima de nós, haverá alguns que hão-de louvar a nossa capacidade de servir; outros hão-de nos pisar.

E o que é amor-próprio? Talvez a capacidade e disponibilidade de deixar que tu e os que amas, possam ser quem são, sem que isso requer fazer um favor a ninguém. Deixar que os outros são quem são sem que queiras que sejam de modo que gostaria que seriam. Permitir que és quem és sem querer ser alguém diferente. Se pode amar a si próprio sem condições, se pode sentir que é belo, importante, com valor, amado, se reconhece que tem todo o direito de ser quem é, pode descobrir que não precisa da aprovação de ninguém. E os outros não precisam de preencher requisitos!
Aqui entre o conceito de Amor Incondicional – algo a que todos aspiramos… um ideal que às vezes parece dificil de atingir. Será?
Para poder amar o outro incondicionalmente é importante amar-nos a nós próprios primeiro. Se não há amor-próprio, é muito difícil amar o outro sem impor condições. Rapidamente o amor desvia-se para: “Amo-te, mas….” ou “Amo te, se….” E o stress dispara se o outro não tem o comportamento desejado ou idealizado como necessário para poder chegar à felicidade.

Ter Amor-próprio significa:
renunciar a todas as exigências e expectativas que definimos para nós e que usamos para nos pressionamos para ter o “comportamento certo” e os “sentimentos certos”.
Ter Amor-próprio significa:
aceitar-nos tal e qual como somos, incluindo todos os aspectos agradáveis mas igualmente todos os que causam desconforto.
Ter Amor-próprio é:
deixar de nos auto-incriminar, de nos julgar e condenar. É dizer “SIM, eu aceito-te” perante nós próprios. É perceber que não estamos obrigados a nada.
O Amor incondicional é um estado, uma maneira de SER, e refere à nossa capacidade de ligar-nos à fonte profunda de amor que trazemos dentro de nós. O confronto com o Outro é apenas um espelho para podermos entender o nosso amor-próprio.

Existem exercícios meditativos para poder compreender como entrar em contacto com a Fonte de Amor dentro de nós. Se somos capazes de encontrar o Amor em nós, tudo é diferente: a auto-aceitação, a auto-estima, a capacidade de lidar com medos….
Exercícios destes fazemos regularmente nas nossas meditações, e hoje deixo aqui um exemplo:

Primeiro passo: levar a atenção toda junto ao coração.
O coração é o centro do teu amor-todo-abrangente. O coração vai bombeando, para todas as células poderem viver…sem excepção…., vai bombeando… cheio de amor, independentemente do que dizemos, pensamos, ou fazemos. Alimenta o corpo porque sim, como o Sol ilumina a Terra, sem pedir ou esperar nada em troca. Não tem outros interesses, nem segundas intenções, está ao teu serviço, puro e simplesmente. Mesmo se tivermos pensamentos ou atitudes negativos – cheio de amor, o coração bate para o nosso bem, é o seu contributo para o nosso bem-estar. O coração é incondicional no seu amor… e assim temos o amor-todo-abrangente e incondicional ao nosso alcance.

Segundo passo: gerar gratidão.
Sintonizando com a sensação, a qualidade que sentimos no coração, nomeadamente a da sua natureza incondicional, podemos enviar ao nosso coração um sorriso de gratidão. Deixamos saber ao coração que estamos gratos por poder receber o amor-todo-abrangente. Dizemos que agradecemos o trabalho duro e incessante. Ao enviar gratidão podemos sentir instantaneamente que damos algo de volta, que há contacto com o coração. Começa a sentir como o amor do coração passa para o sangue, passa para as células. E assim vai practicando o Amor-próprio… sempre quando puder.
Terceiro passo: espalhar o amor.

A partir deste ponto pode fazer com que o Amor-todo-abrangente se espalhe para as outras partes do corpo que igualmente se esforçam para ti, sem descanso. Rins, pulmões, fígado, sistema imunitario, cérebro, pele…. Se conseguir, vê se consegue expandir o amor e gratidão para os seus pensamentos, sentimentos e comportamentos. Enquanto vai practicando mais, vai sentir mais Amor-próprio, que nasce dentro de si e se dirige para si. Se puder alimentar-se com Amor, não existe mais a necessidade que alguém preenche as lacunas. A razão de ser das condições para amar, deixa de existir, e o que pode nascer é… Amor Incondicional. Vai poder amar porque revê no outro a sua própria beleza e perfeição, e porque em conjunto… mais Amor se vai gerar. Incondicionalmente.

Fonte: Cavalo de Vento

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Amor incondicional, Amor-próprio / Amor Incondicional, Cavalo de Vento com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s