Desapego ou Desamor?

1682-love-couples

Este artigo já se encontra aqui no meu blog. Mas porque acho que é um dos artigos mais fundamentais sobre o desapego, que existe na Net, vou voltar a posta-lo.

Leiam-no muito atentamente. Vale muito a pena!

***

Hoje gostaria de deixar de lado um pouco as “grandes questões” e conversar com você sobre algo um pouco mais singelo, entretanto, não menos importante: O Desapego. Todo aquele que busca a iluminação sabe que o desapego é um elemento chave para a evolução humana. Então, por que é tão difícil colocá-lo em prática?
 
Apego X Amor

Um dos motívos pelo qual é tão difícil praticar o desapego, é por causa da resistência humana a esta conduta. A prática do desapego é desencorajada em todos os seguimentos da sociedade! Nós somos ensinados desde cedo a nos apegar a tudo e a todos. Devemos nos apegar a nossos pais, nossos pertences, nossa vida… Confundimos apego com amor e passamos a vida toda cultivando o apego sem cultivar o amor.
Só sabemos o que é o amor incondicional quando livres das amarras das paixões e do apego. O amor é totalmente o oposto do apego (que é o conceito distorcido de amor) pois o amor liberta, o apego, aprisiona. O apego é o sentimento predileto do EGO. Na verdade, o apego é o grande alimentador do ego. Veja, o amor distorcido de hoje, na verdade, é o amor ao próprio ego, pura e simplesmente.
As pessoas querem possuir coisas para alimentar o ego. Casa, carro, status… tudo isso é desejo do ego, fortalecido pelo apego, é o sentimento de posse. Esse mesmo sentimento é o que dirige as relações humanas hoje. É MEU FILHO, MEU MARIDO, MINHA ESPOSA… percebes? O apego às pessoas é taxado como amor. Mas como já foi dito aqui, o apego só alimenta o Ego, então, as pessoas não amam os cônjuges, pais ou filhos, elas os querem para satisfazer o ego. Quer um exemplo? Porque é tão comum as pessoas casarem-se e se separarem algum tempo depois? Será que o amor acabou?!?É claro que não! O que acontece, na maioria das vezes, é que se apegam ao prazer causado pelo coquetel químico desencadeado pela paixão. Quando a paixão acaba, acaba o motivo pelo qual se casam. Então o ego corre atrás de outra pessoa que descarrege a quimica novamente… quando não é a paixão que move o relacionamento, é o interesse.O coroa ricásso casa com a menininha novinha para desfilar com o troféu perante seus pares… já a menininha encara o coroa pelo conforto material e pela segurança. É tudo uma troca de interesses. É difícil para a pessoa conceber o amor sem a troca. “Eu o amo, mas você me deve fidelidade”, não é assim? “Eu o amo, mas você tem que mudar esse seu jeito“, “Eu amo você, mas você precisa me dar um pouco mais de atenção“… todas essas frases resumem o apego, não o amor. As pessoas amam a si próprias e querem possuir o outro, para que este satisfaça suas necessidades, sua carência de carinho, atenção, recursos financeiros, sexo…
Já o amor verdadeiro não impõe condições de forma alguma. O mais próximo que o ser humano comum hoje chega do amor verdadeiro é no relacionamento mãe/filho. Quando você ama de verdade, o importante é fazer o outro feliz e não o contrário. E mais importante ainda, amor não é sentimento, é escolha, é atitude. Sentimento faz parte do ego, anda de mãos dadas com o apego.

O desapego é a chave para o despertar espiritual

Com o desapego vem a libertação de Maya, a ilusão da fisicalidade. A partir do desapego, nos tornamos capazes de nos libertar do Medo! Medo da perda, medo da rejeição, medo do fracasso, medo da morte. Assim, podemos descobrir como passear por esta dimensão totalmente libertos para aprender, para amar verdadeiramente e cumprir o que nos cabe neste mundo. A visão espiritual é imcompatível com o apego. O apego contamina a mente do homem tão intensamente que o torna cego para tudo o que não esteja ao alcançe de seus sentidos. O apego mergulha o homem profundamente na matéria e contribui para a perda da identidade espiritual, da conexão com a fonte de tudo o que é, a conexão consigo mesmo.

Equilibrio Emocional X Frieza

Quando alguém foge ao padrão da maioria da humanidade e desenvolve o equilibrio emocional resultante da prática do desapego, é taxado de frio, insencível, coração de pedra… Confesso que já fui chamado de todos esses adjetivos, principalmente nos primeiros anos de minha vida. Isso por que, desde criança, tive a dádiva de desenvolver o desapego. Não aprendi isso com ninguém, pelo menos não nesta vida. Foi algo que aconteceu naturalmente, de forma inata. Entretanto, me custou e me custa muito caro até hoje. As pessoas estão acostumadas ao apego e rejeitam qualquer atitude diversa, você é cobrado a ter uma atitude mais emocional, passional. Caso contrário, você é taxado como alguém que não ama, que não tem vínculos afetivos. Isso soa familiar para você? Se sim, bem vindo ao clube! Mas lembre-se que o errado não é você, você está no caminho certo.

Um abraço.

Fonte: Aquele que Busca

Esta entrada foi publicada em Amor verdadeiro, Apego, Aquele que busca, Desapego, Ego com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s