Não escolha o ego, escolha o amor

Não escolha o ego, escolha o amor

“No amor, o ego não pode existir. O amor é algo muito mais verdadeiro, muito mais autêntico do que você.

É por isso que você sentirá que as coisas começam a ficar um pouco loucas – porque você não pode controlá-las. O controlador não existe mais. Quando o ego não está presente, quem está ali para disciplinar? Então você está num caos.

Mas esse caos é muito mais belo do que o ego feio. Desse caos todas as estrelas nascem. Desse caos você nasce outra vez. É um renascimento. Todo caso de amor é um novo nascimento. Portanto não o considere negativo. Não pense que você está perdendo algo no amor – você não tem nada a perder.
(…)

Assim essa é a primeira coisa a ser compreendida: não escolha o ego, escolha sempre o amor. Quando for uma questão entre o real e o irreal, escolha o real, mesmo que às vezes o real traga inconveniência. Ele traz inconveniência. Nós escolhemos o irreal porque ele é conveniente – por nenhuma outra razão o escolhemos. Há apenas uma razão: ele é conveniente.

Você terá que passar pela inconveniência…isso é o que significa ser iniciado num caminho.

Escolha sempre o real, por pior, mais doloroso e destrutivo que pareça. Mesmo que pareça ser a morte, escolha-o – e você será beneficiado por isso. Nunca escolha o confortável, o conveniente, o burguês; caso contrário você viverá a vida de uma pessoa hostil – se você for afortunado; ou a vida de um impostor, se não for tão afortunado; ou, se não for afortunado de modo algum, a vida de um zumbi.

O amor lhe tira do seu ego, do seu passado da sua vida padronizada; por isso parece ser uma confusão.

Mas isso é bom. Não há nada com que se preocupar. Perca o ego. Ficar louco de vez em quando é uma necessidade básica para permanecer são. Se você estiver sempre são, então sua sanidade é suspeita. É bom tirar umas férias da sanidade. De vez em quando esqueça-se tudo sobre sua sanidade, tudo sobre seus regulamentos, disciplina, comportamento controlado, e todos esses absurdos. De vez em quando tire férias, relaxe e enlouqueça.

Se você fica louco deliberadamente, conscientemente, totalmente alerta, vai ser uma experiência incrível. E você nunca está em perigo. Quando você enlouquece conscientemente, você pode voltar.

Você sabe como entrou nisso e sabe sair disso.

A pessoa que é sempre sã, não é livre…e a pessoa que é sempre insana, também não é livre. Mas a pessoa que pode oscilar da sanidade para a insanidade, e pode oscilar facilmente, suavemente, sem nenhuma barreira, tem uma grande liberdade. Essas são as pessoas que souberam o que é a vida. Todos os místicos são loucos, e todas as pessoas loucas poderiam ter se tornado místicas, mas elas perderam a oportunidade. E quando você vai por si mesmo, você pode voltar.

Eu o ensino a enlouquecer conscientemente.
Portanto, entre nisso. Não tenha medo. Tudo o que você perde, não vale a pena manter.
O amor é uma grande alquimia.”

Osho, Sufis: The People of the Path, V.II, # 8

Fonte: oshosukul

Esta entrada foi publicada em Amor, Ego, Não escolha o ego, escolha o amor, O Ego, Osho com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s