A Posse nos Relacionamentos

Amor Incondicional 32º

Antes de postar o artigo que vou postar, convém dizer que estar-se apaixonado/a, é estar-se apegado/a, pois a paixão é um sentimento, que provém do apego. A paixão é mental e o Amor é do coração. A paixão é apegada. E o Amor é desapegado.

Tendo dito isto, concordo quase totalmente com este artigo. A não ser a pequena parte que se refere à Paixão!

***

a 4301460921440_176553695_n

Muitos de vocês confundem posse como demonstração de amor.

Parece-lhes lógico querer para si tudo que amam, garantir o amor para o futuro !

É como um lindo pássaro em uma gaiola, se você acha o pássaro muito bonito, acha natural tê-lo sempre a sua disposição para ver e escutar o seu canto. Mas já parou para pensar na felicidade do pássaro ?

Mesmo que não se preocupe com a felicidade do pássaro. Você está realmente sendo feliz em tê-lo a sua disposição ? Você não está livre, não está vivendo plenamente este momento porque precisa se preocupar em manter a gaiola. Sua felicidade depende da gaiola, se a gaiola não existir e o pássaro se for, você será infeliz. Será infeliz e nunca terá sido realmente feliz, porque sua felicidade estará sempre projetada no futuro. Terá ficado sempre preocupado em manter a gaiola, sem nunca ter tido tempo de admirar verdadeiramente aquele pássaro.

Amar verdadeiramente uma pessoa é amá-la na sua essência, na sua manifestação, é ficar feliz ao vê-la feliz e também estar livre para sentir o amor. A felicidade só é possível com a liberdade, a liberdade de se manifestar e de sentir. Amar e querer o outro sempre ao seu lado não é amar ao outro, mas apenas querer garantir este amor para o futuro. Não estará nem conseguindo amar verdadeiramente, estará apenas mantendo sua posse.

Está querendo apenas satisfazer o seu ego sem se preocupar com a felicidade do outro. Amar é amar a felicidade do outro, porque só assim poderá observá-lo em sua manifestação plena.

Este é o amor incondicional, é amar porque amar faz bem a si mesmo, saber disto e se contentar com isto, sem querer aprisionar o objeto do seu amor.  É ter a liberdade de sentir o amor agora sem se preocupar com o amanhã. É celebrar este momento. O contrário é como colher uma flor que achou bonita e vê-la secar em suas mãos.

Esta tentativa de garantir o outro ao seu lado é a insegurança com relação ao futuro, que é incutida em suas mentes desde que nascem.

É natural que ajam assim, foram condicionados a isto, foram programados por este sistema desde que nasceram. Mas não é o melhor, porque isto leva ao sofrimento. Esta ansiedade com relação ao futuro é o grande mal de sua sociedade, vocês não vivem, apenas passam o tempo.

Vocês vivem pelo futuro e esquecem de viver o agora. Vivem com medo, querendo acumular tudo que gostam para o dia de amanhã.

Mas o amor não se armazena. O amor se cultiva a cada dia.
O amor não se guarda, o amor se consome no agora.
O amor só se manifesta na liberdade !

O amor é o grande dilema da sua sociedade, porque ele desafia a lógica do seu sistema. Não se enquadra nela porque não pode ser armazenado para o futuro, precisa ser consumido instantaneamente, precisa ser celebrado. É por isso que sua sociedade não tem amor. Vocês não vivem o presente, não enxergam o amor de agora, e não podem guardá-lo para amanhã !

Vocês continuam querendo garantir a posse do amor. Pensam que se não agirem assim estarão abrindo mão do amor. Acham que isto não é amor. Onde já se viu amar alguém, deixá-la livre, e correr o risco dela se apaixonar por outro !

Vocês podem cercar o objeto de seu amor, vigiar e controlar. Talvez até consigam manter esta pessoa sempre ao seu lado. Seu ego vai ficar muito feliz, você terá realmente conquistado a posse do bem que ama e poderá ostentá-la ao outros para que vejam o seu sucesso. Mas isto é amor ? O que você tem ao seu lado ? A que custo você mantém a sua posse ?

Você está apenas acumulando sofrimento. Nenhum dos dois está vivendo sua plenitude. Estão apenas passando o tempo juntos. O que os une é apenas o medo do futuro. É apenas a ansiedade. Vivem por um futuro medíocre igual ao seu presente medíocre. São dois mendigos na porta do Paraíso !

através de Prama Shanti

Fonte: Prama Shanti


“Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque, contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer. O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse é que faz sofrer. (…) Eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca.”

Antoine de Saint-Exupéry

Esta entrada foi publicada em A POSSE NOS RELACIONAMENTOS, Amor Indicional, Antoine de Saint-Exupéry, Posse, Prama Shanti com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s