Amar Incondicinalmente

Vou postar aqui um texto muito bonito.
Porém, não posso deixar de dizer, que não concordo com ele totalmente. Isto porque a autora do texto, não refere que o Amor Incondicional, é compassivo e altruísta. Não refere, por isso, que quem ama outra pessoa incondicionalmente, não quer o sofrimento da outra pessoa, e nem as causas do sofrimento, e coloca a felicidade da pessoa amada em primeiro lugar.
Leiam este texto, mas levem o que acabei de dizer em conta. Pois não levando em conta o que acabei de dizer, não é possível amar outra pessoa, incondicionalmente!


teste-amor-de-verao

Amar Incondicionalmente

“O Amor incondicional é reconhecimento – o reconhecimento da Divindade sempre presente em todas as coisas até quando o objeto não liga para ela.”

Tão simples não é?

E ainda assim sei que só de ler a primeira frase, possivelmente já não vai ler o resto…

Só de falar AMOR INCONDICIONAL já passou ao lado… Não interessa… Muitos pensarão: eu sei perfeitamente o que é o Amor!

Será que sabe mesmo?…

Tanto se fala de Amor… “Amor é chama que arde sem se ver…”, quem ama cuida, preocupa-se…, Amar dói…, quem ama quer o bem do outro…

E tantas outras frases – crenças – que nos fazem andar em círculos viciosos, frustrados, consumidos, iludidos…

Todos sabemos como começa e como acaba… Os primeiros tempos são “um mar de rosas”… os últimos tempos – e quando há a coragem de terminar o sofrimento – “são um inferno”… e ainda assim, “não conseguimos viver sem eles”…

Que coisa estranha essa… que o nosso “carma” neste planeta fosse sofrer… Ainda que tenhamos feito tanto “mal” em outras vidas passadas – como tantos justificam a sua inércia – não há qualquer motivo para que tenhamos que viver  na autopunição, autotortura, autocomiseração… coitadinho de mim…

Esse amor que tanto se apregoa, não deveria ser chamado de amor… deveria ser chamado de Obsessão.

Sim, obsessão! É uma doença!

O Amor controla? Quer que a outra pessoa seja como ela quer que seja? Onde está o livre arbítrio de cada um?

O Amor mata só porque a pessoa não seguiu o caminho que nós estamos convencidos que é o correto? Quem sou eu para saber o que é melhor para a outra pessoa?

O Amor mata-se porque não pode ficar com a pessoa que quer ficar? E o Amor próprio?? Será que nascemos para ser escravos uns dos outros?

O Amor obriga outro a ficar com ele porque ele diz que a ama, apesar do outro não sentir o mesmo? Que raio de amor é esse que quer tudo só para ele?? Isso não será EGOismo?

Pensar constantemente em outra pessoa, sonhar com ela, vê-la em todo o lugar, sonhar acordada com ela, fazer planos mentais com ela (quando ainda nem a conhece…), tem alguma coisas de amor aí?

Também o alcoólico pensa constantemente no álcool, sonha com ele, vê-o em todo o lugar, sonha acordado com ele, faz planos mentais de com ele, etc…

O Adito á comida também só tem olhos para a comida, pensa constantemente nela, sonha com ela, vê-a em todo o lugar, sonha acordado com o maior petisco, faz planos de como poder comer mais… e por aí vai…

Não vejo diferença então entre alguém que “bebe demais” ou entre alguém que “ama demais”.

Os dois procuram se preencher com algo exterior, porque não sabem lidar com os seus sentimentos e emoções.

È uma doença. Não consegue parar de beber…não consegue parar de amar demais…

Maioria não quer necessariamente dizer “normalidade”.

Mas não é fácil despertar dessa ilusão, realmente. E especialmente quando todos a apoiam – pois todos sofrem da mesma doença…

Normalmente nunca queremos ser doentes sozinhos… aja quem nos apoie e diga connosco…

Mas no fundo, todos sabemos que não é bem assim… Que isso é apenas uma desculpa para não sermos responsáveis pela nossa própria vida.

Se justificarmos o facto de estarmos constantemente na cepa torta, com o marido que não deixa, o namorado que não apoia, os pais que não aceitam, etc, etc, ainda podemos tentar convencer a nós mesmos que existe um impedimento á nossa Felicidade…

Mas todos, sem exceção, sabemos que não é ninguém, nem nada exterior a nós, que nos possa fazer felizes, só nós mesmos.

A Felicidade vem de Dentro, não de fora.

A Alegria vem de dentro, não de fora.

O Amor aceita o outro tal como ele é, deixa-o SER, e acima de tudo Ama-se e coloca-se em primeiro lugar.

 

Elisabete Milheiro

Fonte: Sementes de Bem-estar


Esta entrada foi publicada em Amar Incondicinalmente, Amor incondicional, Elisabete Milheiro, Sementes de Bem-estar com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s